Um feixe de notícias sobre Mariano Amaro

"MARIANO AMARO é uma figura inconfundível de atleta grande entre os grandes, que bem define as excelsas virtudes da nossa raça.
Valentia, lealdade, vontade decidida e espírito de sacrifício são atributos deste excepcional jogador, que tantas tardes de glória deu ao desporto português.
Despedindo-se, agora, dos campos de desporto, Mariano Amaro continuará, porém a ser - como grande exemplo - seguro guia para todos os jovens desportistas da nossa terra"
(…) Foi no dia 4 de Julho (1948) p.p. Era domingo, final da taça de Portugal.
Vim cedo para a Baixa - para tomar o meu cafezinho e para matar o vicio de palestrar um pouco antes de seguir para o Estádio.
- O Amaro não joga !!!...
Não quis acreditar. Era impossível. E foi então que o meu prezado amigo Dr. Silva Rocha me trouxe para fora do Nicola e ali, à borda do passeio em ar de confidência, me disse cheio de amargura:
- É verdade, infelizmente é verdade. O Amaro não joga hoje - nem voltará a jogar!
Senti, confesso, um verdadeiro baque no coração, porque eu sou verdadeiramente amigo do rapaz.
E, além disso, era e serei um admirador incondicional do seu génio futebolista.
Tive um arrepio indefinido - mas desagradável e doloroso até.
Pior do que a mágoa sofrida a quando da derrota dos 0-10 de Portugal - Inglaterra, o que aliás, se compreende: - contra os Mestres Ingleses, perdeu-se apenas um desafio em hora e meia de jogo, mas na madrugada de 4 de Julho de 1948, Portugal perdeu para sempre um dos seus melhores jogadores de todas as gerações!
Um daqueles que ficam fazendo falta perpétua. Um dos insubstituíveis…
E querem então, que eu tenha palavras de homenagem para com Amaro?
Sinceramente - desisto.Porque, dentro de mim, só tenho saudades - muitas saudades do grande jogador…(…) Alberto Valente

Personalidades como: André Navarro, Francisco dos Reis Gonçalves, A. Ribeiro Reis, Alberto Valente, Alberto de Brito, António Sequeira, Augusto Silva, Cândido de Oliveira, Fernando Soromenho, Lança Moreira, Quádrio Raposo, Raul de Oliveira, Rebelo da Silva e Tavares da Silva escrevem sobre Mariano Amaro aquando da sua festa de homenagem.

Uma minibiografia de Mariano Amaro, centrada sobre o seu caractér de homem e desportista. Um documento de grande valor histórico para os Belenenses e para o desporto português.

Sem comentários: