Equipa do C.F.«Os Belenenses» da época de 1934/35

De pé: Fernando Sousa, Octaviano, Perfeito Rodrigues, Varela Marques, Mariano Amaro, Teófilo Gaspar Pinto, Rodrigues Alves e Júlio Sousa. Armelim Pinto. José Simões, António e Rafael. Deitado: José Reis.

À terceira final (consecutiva) foi de vez ! Belenenses, vence a sua primeira «Taça de Portugal»

«Com os «teams» alinhados no terreno, o sr. Major Silva e Costa, representante do venerando Chefe de Estado, acompanhado pelo presidente da F.P.F.A., entregou ao capitão do Belenenses, Mariano Amaro, a Taça de Portugal conquistada, e distribuiu a todos os jogadores as tradicionais medalhas.»  

  
🏆Lisboa, Estádio do Lumiar, 12 de Julho de 1942. O desafio iniciou-se às 18 horas, prefixadas, perante imenso público, mas não tanto quanto em outros importantes prélios entre as melhores equipes de Lisboa.
Árbitro: Vieira da Costa, do Porto. Os grupos:
⛹C.F.Belenenses: Salvador Jorge; Simões e Feliciano; Amaro, Gomes e Serafim; Quaresma, Eloi, Gilberto, José Pedro e Franklin. Treinador: Rodolfo Faroleiro.
⛹Vitória S.C.: Machado; Lino e João; Castelo, Zeferino e José Maria; Laureta, Miguel, Alexandre, Ferraz e Arlindo.
⚽Marcadores: Quaresma (40') e Gilberto (47').
«Não tiveram os «azues» de brilhantismo excepcional, em que a sua exibição se equiparasse a outras que deliciaram o público, mas demarcou sôbre o seu adversário, em técnica, em vigor, em velocidade e em remate, indiscutível superioridade. Foi pois um bom vencedor.»  

Num espectáculo de aprumo e correcção foi bonita de ver a réplica belenense ao anunciado superpoderio do Benfica

Lisboa, Estádio da Luz, 18 de Fevereiro de 1979. Jornada 20 do campeonato nacional. Arbitragem de Albino Rodrigues, do Funchal, auxiliado por Gregório Fernandes e Teixeira Dória.
Belenenses -  Delgado; Sambinha, Lima, Alexandre Alhinho (Amaral, aos 46') e Carlos Pereira; Esmoriz, Eurico e Isidro; Vasques, Clésio (Lincoln, aos 61') e Cepeda. Treinador: António Medeiros.
Benfica - Bento; Bastos Lopes, Humberto Coelho, Carlos Alhinho e Alberto; Toni (Pietra, aos 45'), João Alves e Shéu Han; Nené, Reinaldo e Chalana. Treinador: John Mortimore.
Golos: Reinaldo (34'), Humberto Coelho (70') e Carlos Pereira (83'). Resultado final: Benfica, 2 - Belenenses, 1
Cartão amarelo para Humberto Coelho, por placagem a Eurico.

Clube Atlético de Campo de Ourique - C.F. «Os Belenenses»

Bairro de Campo de Ourique, rinque do CACO, 1964. Os «azuis» Raposo, Zeca Saraiva e Lemos protegem a bola de Vaz Guedes, grande figura da história do hóquei em patins nacional.

Eis 3 bons guarda-redes do Belenenses da década de 70

Rui Paulino, Celestino Ruas (falecido em 22/12/2016) e Ferro Pais, que chegou a Belém na época de 1969/70. Ruas e Ferro, foram contemporâneos no Belenenses. Foto datada de Dezembro de 2015.

Batido mais uma vez o Quadro do Belenenses, em sua segunda apresentação no «Torneio do Morumbi»

Rio de Janeiro. Estádio do Maracanã, 23/06/1957: Flamengo, 3 - Belenenses, 1. Ramin, voando para a bola, sob as vistas de Pires. Em resultado de uma formidável exibição, o "guarda-redes voador", recebeu um convite para assinar contrato pelo Flamengo.

Recém contratado - por três épocas à Académica, que em compensação recebeu Miranda - integrou a comitiva do Belenenses, que se deslocou ao Brasil, para a disputa do «Torneio Internacional do Morumbi»

Apesar da desastrosa exibição no jogo de estreia contra uma equipa mista do Vasco da Gama/Santos F.C. (derrota por 6-1), quatro dias antes, Fernando Riera, manteve José Pereira e o mesmo quarteto defensivo como titulares no jogo contra o Flamengo. Uma «defesa escancarada» como lhe chamou o «Jornal dos Sports», do Rio de Janeiro,

Infelizmente, José Pereira seria desastrado nos dois primeiros golos dos «rubronegros». O «Jornal dos Sports», comentava após o jogo com o Flamengo: «José Pereira, que veio precedido de grande cartaz, deixou-se trair nos dois primeiros goals, precipitando a derrota.»

Ramin, substituiria-o ao intervalo. Riera, comentaria "que não foi por acaso que jogou bem contra o Flamengo". 
Árbitro: Gualter Gama de Castro. As «equipes»:
Flamengo - Ari; Joubert, Pavão e Jordan; Jadir e Dequilha; Milton Bororó (Moacir), Moacir (Duca), Henrique (Luís Carlos), Dida e Mário Zagalo.
Belenenses - José Pereira (Ramin); Pires, Figueiredo e Moreira; Vicente e Carlos Silva; Dimas, Faia (Pellejero), Perez, «Matateu» e «Tito». Treinador: Fernando Riera. 
Marcadores: Henrique e Moacir (2). «Tito», pelo Belenenses. Ao intervalo o Belenenses perdia por 2-0.

Equipa do Belenenses embarca para o Brasil para disputar o «Torneio Internacional do Morumbi»

✈Aeroporto da Portela, Lisboa, 12/06/1957. Dr. Camilo, José Maria Pellejero, Ricardo Perez, Miguel Di Pace, Eduardo Massey e o massagista Carlos Pama aguardam o embarque para o Brasil, onde a equipa iria disputar, no Maracanã, o «Torneio Morumbi», com um misto Vasco da Gama/Santos, Flamengo e Dínamo de Zagreb (Grupo «A»).
➤ Clicando aqui pode ler o que publicámos sobre o «Torneio Internacional do Morumbi»

O «Onze» do Belenenses que falhando 2 penaltis, empatou (3-3) com o Sporting para o Campeonato da época 57/58

Orlando Ramin, Francisco Pires, Raúl de Figueiredo, Amândio, Raúl Moreira e Carlos Silva
Matateu, Miguel Di Pace, Suarez, Wilson e «Tito» 

Lisboa, 29 de Setembro de 1957. O encontro mais importante da 4ª jornada atraiu ao Estádio do Restelo muitos adeptos dos dois clubes, embora não suficientes para encher o vasto recinto.
🚩Com arbitragem de Inocêncio Calabote, de Évora, as equipas alinharam:
⛹Belenenses - Ramin; Pires e Moreira; Amândio, Figueiredo e Carlos Silva; «Matateu», Wilson, Suarez, Di Pace e «Tito». Treinador: Augusto da Costa.
⛹Sporting - Carlos Gomes; Caldeira e Pacheco; Julius, Galaz e Osvaldinho; Pérides, Vasques, Vadinho, Travaços e Martins. Treinador: Enrique Fernandez.
⚽Marcadores: 0-1, aos 7' por Vadinho; 1-1, aos 26' por Wilson; 2-1, aos 30' por «Tito» de penalti (que tinha falhado um aos 22' e falharia outro aos 36' ); 3-1, aos 47' por Suarez; 3-2, aos 57' por Vasques; 3-3, aos 67' também por Vasques. Resultado final: Belenenses, 3 - Sporting, 3.

A equipa do C.F. «Os Belenenses» vencedora do «Torneio-Relâmpago» - abertura da época de 1946/47

O grupo de futebol do Belenenses que venceu o Torneio-Relâmpago - o primeiro da época. O Belenenses começou com o pé direito...

José Sério, Feliciano, Serafim, Amaro, Vasco, Mário Sério e Mário Coelho
Armando, Elói, Andrade, Quaresma e Rafael
O «Torneio-Relâmpago» foi realizado, no Estádio do Jamor, no dia 1 de Setembro de 1946 e disputado pelo Atlético, Belenenses, Benfica e Sporting.
Resultados do quadrangular: Benfica, 2 - Sporting, 0; Belenenses, 1 (golo de Rafael) - Atlético, 0; Belenenses, 2 (Quaresma e Elói) - Benfica, 1.

O Belenenses, vencendo por 2-0 ao intervalo deixou que o Sporting empatasse o desafio

Figueiredo, actua o mais energicamente possível, Martins até fechou os olhos.
José Maria Pellejero, observa

Domingo, 3 de Fevereiro de 1957. Jogo no Estádio do Restelo a contar para a 21ª jornada do campeonato nacional. Numerosa assistência. Os grupos:
Belenenses - José Pereira; Carlos Silva e Raúl Moreira; Pellejero, Figueiredo e Vicente; Dimas, Di Pace, Perez, Matateu e «Tito».
Sporting - Carlos Gomes; Galaz e Pacheco; Pérides, Passos e Osvaldinho; Vasques, Gabriel, Martins, Joaquim José e Travaços.
Árbitro: Braga Barros, de Leiria
Marcadores: 1-0, aos 16' por Matateu; 2-0, aos 45' por Di Pace; 2-1, aos 65' por Gabriel; 2-2, aos 87' por Gabriel. Resultado final: Belenenses, 2 - Sporting, 2.

Uma entrada do defesa do Real Madrid «mandou» Matateu para a enfermaria

“Na Taça Latina em Paris, contra o Real Madrid. Uma entrada do defesa Marquitos, que foi uma ”barbaridade”, pô-lo neste estado. Vêem-se na foto o Dr. Silva Rocha, o mano Vicente, Pires e o massagista Pama”

«Deley» - Wanderley Alves de Oliveira

Volta Redonda (RJ) Brasil, 28/08/1959
⚽ Deley, fez parte do plantel da época de 1988/89, tendo participado em 4 jogos do campeonato: 2 jogos como suplente utilizado (16ª e 33ª jornada, Estrela da Amadora e Nacional) e 2 jogos como suplente não utilizado (17ª e 18ª jornada, Sporting e Boavista). 👑Presentemente, Deley é deputado federal do Brasil.

Alberto Ferreira de Jesus

⛹Nasceu em Lisboa a 26 de Setembro de 1919. Começou no Belenenses em 1936/37 e transferiu-se para o Estoril em 1941/42. Médio seguro e enérgico. Foi internacional, tendo se estreado a 21/03/1948.

Oscar Eduardo Tellechea

La Plata (Argentina), 29/11/1912
Na Argentina, jogou no Estudiantes. Na Europa, representou os franceses do Sochaux e do Sport Réunis de Colmar. Chegou a Portugal para representar o Académico do Porto. Seguindo-se o Belenenses, na época de 1940/41, o Estoril, onde se manteve 2 épocas, o Famalicão, durante 4 épocas, e finalmente o Académico de Viseu, onde encerrou a carreira de jogador e iniciou a de treinador, não sem que, durante um período, exercesse as duas funções com a plena aprovação dos dirigentes da colectividade da Beira-Alta.
«A época (1941/42) é de sacrifícios para todos e no nosso Clube se-lo-há ainda durante mais alguns anos, até que, e oxalá seja breve - desapareçam do passivo do nosso balancete as rubricas «Letras a Pagar» e «Devedores e Credores». Neste firme propósito, a direcção toma as seguintes decisões drásticas, que se impunham: - São dispensados os jogadores argentinos Óscar Tellechea e Horácio Tellechea; Estabelece-se com os jogadores de futebol, uma tabela uniforme de vencimentos e prémios; Modifica-se toda a administração interna do Clube; A Sede muda da Rua de Belém, 48 para a Travessa da Praça, 8 (Belém); É extinta a Delegação da Rua da Palma, 264; Suspende-se a publicação do Boletim mensal. (...)» 
«E, arrostando com esse conjunto de decisões «revolucionárias», consegue finalmente, conquistar para o Clube a primeira «Taça de Portugal», de futebol.»
⛹ Óscar Tellechea, foi o 4º jogador de nacionalidade argentina a representar o Belenenses, tendo sido precedido por Alejandro Scopelli, Óscar Tárrio e pelo seu irmão Horácio (todos em 1939). Posteriormente, chegaram a Belém: Manuel Rocha (1947), Miguel Di Pace (1953), Próspero Benitez (1953), Ricardo Perez (1953), José Maria Pellejero (1955), Eduardo Massey (1956), Hugo Chavez (1959), Roberto Saporiti (1968), Mauro Airez (1991) e Fernando Ávalos (2009).

Belenenses festeja as vitórias no Campeonato de Lisboa, das suas equipas da categoria de «Honra» e «Reservas»

Dezembro de 1945
➽ 1 - O aspecto geral do jantar oferecido pelo sr. dr. Octávio de Brito aos campeões belenenses e no qual participaram os presidentes e capitães dos grupos da Primeira Divisão e vários jornalistas. ➽ 2 - O almôço de confraternização desportiva, a propósito da vitória belenenses, promovido pelo clube, no Estoril. ➽ 3 - O sr. dr. Octávio de Brito, dirigindo uma eloqüente saüdação aos seus convidados. ➽ 4 - Os capitães dos seis «teams» concorrentes ao Campeonato de Lisboa junto do presidente do Belenenses. ➽ 5 - O dr. Barreira de Campos, ao felicitar o Belenenses em nome do Sporting.
Campeões da categoria de Honra: Capela, Vasco, Feliciano, Gomes, Amaro, Serafim, Mário Coelho, Eloy, Quaresma, Armando, José Pedro e Rafael.
Campeões da categoria «Reservas»: José Sério, António Rodrigues, Adelino Moura, Francisco Martins, Peres, Mário Sério, Carlos Ferreira, Teixeira da Silva, Artur Conceição e Armando Teixeira. 

E nas Salésias...superioridade constante do Belenenses e defesas valorosas de Lobato, guarda-redes de Guimarães

“Carlos Silva surpreendendo o defesa do Guimarães”

Domingo, 20 de Fevereiro de 1955. Jogo no Estádio «José Manuel Soares», 19ª jornada do campeonato, com assistência regular. Sob arbitragem de Fernando Valério, de Setúbal, os grupos apresentar-se do seguinte modo:
⛹ Belenenses - José Pereira; Pires e Serafim; Vicente, Raúl Figueiredo e Carlos Silva; Di Pace, Dimas, Ricardo Perez, Matateu e «Tito».
⛹Vitória de Guimarães - Lobato Rodriguez; Cesário e Francisco Costa; Rebelo, Cerqueira e José da Costa; Bártolo, Elói, Silveira, Miguel e Bibelino.
⚽Marcadores: 1-0, aos 44' por Perez; 2-0, aos 47' por Matateu, de «penalty»; 3-0, aos 76' por Matateu. E, assim se manteve o resultado até final: Belenenses, 3 - Vitória de Guimarães, 0.

Vitória dos «azuis» aceitável pela sua boa exibição no 1º tempo, lisonjeira pela pressão que suportou no 2º tempo

Capa da revista «Stadium» de 11 de Dezembro de 1946
«O intenso labor da linha atacante do Sporting provocou uma exibição primorosa do guarda-redes Capela. Remates e mais remates sportinguistas - tudo em vão! Na fase que publicamos, Vasques já não chega a tempo. Gomes está vigilante. E o Belenenses venceu o Sporting, nas Salésias, por 2-0.»

Intensa pressão dos «azuis» mas, os postes e o guarda-redes boavisteiro impediram que o «score» se avolumasse

Capa da revista «Stadium» de 27 de Dezembro de 1945
«Mota, guarda-redes do Boavista, acabou o jogo nitidamente extenuado. Estando permanentemente em acção, realizou defesas magnificas. Ei-lo, num lanço, todo lançado no ar. Mas a bola rolou mais depressa do que êle calculava, não o batendo por acaso. Um dos defesas do Boavista olha aterrado para a bola: Entrará ? - Eis a pergunta que lê no seu olhar !» 
🏟 Lisboa, 23/12/1945. Jogo nas Salésias, perante assistência reduzida, a contar para a 3ª jornada do campeonato nacional, com arbitragem de Evaristo Santos, de Setúbal. Os grupos:
⛹Belenenses - Capela; Vasco e Feliciano; Amaro, Gomes e Serafim; Mário Coelho, Elói, Armando, Quaresma e Rafael. Treinador: Augusto Silva.

⛹ Boavista - Mota; Vinagre e Francisco; Raimundo, Serafim e Chaves; Zeca, Biri, Armando, Caiado e Gonçalves.

⚽Marcadores: 0-1, aos 7' por Caiado; 1-1, aos 13' por Quaresma; 2-1, aos 43' por Armando; 3-1, aos 52' por Rafael; 4-1, aos 67' por Rafael, de penalty (Rafael tinha falhado outro aos 47'); 5-1, aos 72' por Quaresma; 6-1, aos 81' por Mário Coelho. Resultado final: Belenenses, 6 - Boavista, 1. 

O primeiro jôgo da 2ª jornada deu ao Belenenses uma expressiva vitória (7-0) sôbre a Académica

Capa da revista «Stadium» de 19 de Dezembro de 1945
«Os guarda-redes são obrigados a dura tarefa, quando o adversário ataca com insistência. Jaques, um novo da Académica, em acção. Armando tenta impedir a defesa. Rafael também está atento ao lance. Ás vezes, a oportunidade surge quando menos se espera...»
🏟 Lisboa, 16/12/1945. Jogo nas Salésias, com assistência regular, a contar para a 2ª jornada do campeonato nacional, com arbitragem de J. Trindade, de Setúbal. Os grupos:
⛹Belenenses - Capela; Vasco e Feliciano; Amaro, Gomes e Serafim; Mário Coelho, Elói, Armando, Quaresma e Rafael. Treinador: Augusto Silva.
⛹Académica - Jaques; Mário Reis e Albino; Aristides, Braz e António Maria; Ângelo, Azeredo, Garção, Nana e Bentes.
⚽ Marcadores: 1-0, por Rafael, de penalty; 2-0, aos 40' por Armando; 3-0, aos 50' por Quaresma; 4-0, aos 61' por Feliciano; 5-0, aos 70' por Mário Coelho; 6-0, aos 80' por Armando; 7-0, aos 87' por Quaresma. Resultado final: vitória do grupo da casa por 7 bolas a zero. 

A atitude harmoniosa de Armando - avançado centro do Belenenses - na hora da verdade, o momento do remate

Capa da revista «Stadium» de 5 de Dezembro de 1945 
«A atitude harmoniosa de um jogador na hora da verdade, o momento do remate. Armando, o avançado-centro do Belenenses, no desfio contra o Atlético.»