"Não cheguei a jogar contra o Sporting na 1ª divisão nem nas ligas" esclarece Augusto Silva, o "leão de Amsterdão"

- Sporting-Belenenses… Belenenses-Sporting
Ah! Grandes jogos que esses eram!...
E uma sombra de saudade espelha-se no rosto do antigo "leão de Amsterdão".
Interrogamo-lo:
- Diga-nos Augusto Silva. Quais os factos mais salientes desses tempos em que jogava contra o Sporting?
- Dos meus tempos de jogador só posso citar os encontros do campeonato de Lisboa. Quando veio o campeonato das ligas, tinha eu abandonado. Alguns encontros também do campeonato de Portugal…e pouco mais.
Pedimos:
- Fale desses encontros…
- O «clima» era quase o mesmo que hoje se nota. Embora os adeptos fossem menos, o entusiasmo que exteriorizavam compensava. Entre nós, jogadores, era certo e sabido que a semana anterior ao jogo, quase nem dormíamos.
- E invariavelmente quem levava a melhor ?
- As equipas nivelavam-se muito nessa altura. Eram jogos de arrasar…
- Nivelamento esse que a dada altura motivou dois resultados que ficaram históricos ?
Augusto Silva compreendeu a ironia e retorquiu:
- Foram resultados absolutamente anormais. Da primeira vez, uma tarde feliz permitiu ao Belenenses alcançar 6-0 e no domingo seguinte foi o «favor» desse resultado por 9-0. Os jogadores do Sporting devem ter entrado no terreno, lembrando-se demasiadamente do insucesso anterior e… também dessa vez tudo começou a correr bem para o Belenenses, claro, que depois, a desorientação deles ditou o resto.
Adiantámos:
- Agora defrontam-se de novo «azuis» e «leões». Dado o esforço do seu clube na presente época, Augusto Silva mantém esperanças no título?
- Nós temos é que viver de realidades. Esta época ainda não vi o Belenenses em acção. sei do esforço empreendido. Se ele será ou não bem sucedido, só o futuro o dirá.
- E o Sporting?
- Também não vi ainda jogar. No momento só vi ainda o Benfica e, deixem-me que lhe diga que está uma senhora equipa. Aquele jogo com o Barcelona não esquecerá facilmente.
- Quer dizer que elege o Benfica como favorito do campeonato?
- Isso seria adivinhar muito, tanto mais que os quatro grandes do nosso futebol a jogarem uns com os outros, não são equipas para normalmente se mimosearem assim. Conhecem por demais o jogo uns dos outros e nessas circunstâncias os resultados são sempre de prognóstico difícil e, conseguintemente, os vencedores dos campeonatos, também não são fáceis de prognosticar.

Entrevista à revista "Crónica Desportiva" datada de 29 de Setembro de 1957 

1 comentário:

Rui Moura disse...

Este seu trabalho no Belenenses Ilustrado continua notável como sempre. Renovo a minha admiração.

Abraços Gloriosos!