O Belenenses empatou com o F.C. do Porto no jogo mais importante dos quartos-de-final da Taça de Portugal

Com o terreno encharcado pela chuva que caiu insistentemente desde o início da tarde, Abdul vai rematar à barra, com a oposição de Mesquita, enquanto na baliza Atraca em desequilíbrio substitui o guarda-redes Américo, que de “gatas” anda aos “papéis”. Ao longe reconhece-se Fernando Peres e Hernâni.
Estádio das Antas, 2 de Junho de 1963. Jogo da 1ª mão dos quartos-de-final da Taça de Portugal, dirigido por Manuel Lousada, de Santarém. As equipas alinharam do seguinte modo:
➤ Belenenses: José Pereira; Rosendo e Rodrigues; Vicente, Mário Paz e Alberto Luís; Abdul, Adelino, Yaúca, Palico e Peres. Treinador: Fernando Vaz
➤ F.C.Porto: Américo; Atraca e Mesquita; Pinto, Nestor e Paula; Carlos Duarte, Azumir, Serafim, Hernâni e Jaime. Treinador: Janos Kalmar
⚽Marcadores: 1-0, logo nos minutos iniciais, autogolo de Vicente. Sendo que o verdadeiro «responsável» pelo autogolo foi o estado do terreno; aos 30' penalty por falta sobre Palico. Rodrigues falha, atirando a bola à barra; 1-1, aos 54' por Palico, de fora da área atirou um remate violento e inesperado, que surpreendeu Américo, obtendo o golo da igualdade, Resultado final: Porto, 1 - Belenenses, 1
🔔 Curiosidade: no mesmo dia, as equipas de reservas do Belenenses e do Benfica jogaram entre si para o «Torneio Ribeiro dos Reis», e os «azuis» apresentaram o seguinte "onze": Gomes; Pires e Sousa; Cardoso, Castro e Alfredo Quaresma; Feijão, Rafael, Neto, Medeiros e Benvindo Assis

Sem comentários: