O azul artificial

"Nas últimas três épocas, o Belenenses desceu de divisão em duas.
Apesar disso, nunca jogou na II Liga.
No jogo dos 'gabinetes', mantêm-se na I Liga.
Estas manutenções artificiais devem fazer pensar o 'mundo azul'.
O histórico Belém caiu numa crise de identidade incapaz de perceber os novos tempos, onde a lenda do quarto grande se esfumou.

O clube tem, porém, um ADN histórico que, fugindo à fogueira dos grandes rivais de Lisboa, podia ser base de um projecto moderno.
Com os pés financeiros no chão, criar uma equipa respeitadora de um estilo de jogo capaz de cativar o público pela qualidade. Não é uma questão de dinheiro, mas de gestão inteligente.
Até os velhos do Restelo entendem. Caso contrário, restam estas forma de vida artificial para evitar o abismo."

Artigo de Luís Freitas Lobo publicado na edição do jornal "Expresso" do passado sábado, 4 de Julho e que pode ler AQUI.

1 comentário:

Anónimo disse...

Fazendo um paralelo com Inglaterra, o Belenenses faz-me lembrar o Chelsea.

Só falta é um abramovitch