Ía para Madrid mas... ficou em Belém

Muita gente desconhece como é que Francisco Gonzalez, um jovem paraguaio de 23 anos, foi parar ao Belenenses com toda a sua excelente bagagem futebolística.

Ele jogava no Guarany, no Paraguai, quando um empresário se lembrou de o enviar à Europa, mais precisamente ao Real de Madrid, que, na altura, procurava um extremo-esquerdo de categoria.

"Vais à experiência…- disse-lhe o amigo empresário - mas com o futebol todo que tens no corpo estou certo que ficas mesmo no Real Madrid, o clube de Espanha que tem boas pesetas para chegarmos a um rápido entendimento…

Assim estava combinado, mas… o tal empresário era amigo de Scopelli e soube que o categorizado técnico estava em Portugal a treinar o Belenenses.

Isso deu novo rumo à viagem do jovem Francisco Gonzalez, obrigando-o a fazer escala em Lisboa, com passagem por Belém. Scopelli, maravilhado com o futebol do jovem paraguaio já não o deixou ir para Madrid.

E assim o Belenenses ficou com um excelente jogador, de grande influência no bom rendimento da equipa nas épocas de 1974-75 e 1975-76 (*). A sua rápida adaptação ao futebol português, valorizou extraordinariamente a turma de Belém.

Além de um tecnicismo muito apurado, Gonzalez possui o dom mais raro num futebolista: é goleador.

Mais 40% dos triunfos belenenses, nas últimas épocas, devem-se ao talento do jovem paraguaio, um pequeno jogador (1,72m de altura e 70 kilos de peso) que é um embaraço constante para as defesas que enfrenta.

E aqui têm em traços largos um pouco da vida deste grande jogador, que esteve com um pé dentro do Real Madrid, mas…acabou por ficar em Belém!

Com este breve apontamento abrimos a história da vida de um grande jogador, notável ídolo do desporto das gentes de Belém. Ele é dos melhores estrangeiros que têm passado pelo belenenses e pelo futebol português. Um valor positivo por todas as qualidades: de desportista e de homem!

(*) Francisco Gonzalez, foi vice-campeão nacional em 1972/73.

Sem comentários: